Wolverine Origem 2

Olá Quadrinheiro ! Wolverine Origem 2

Wolverine Origem 2Recentemente comentei aqui no blog sobre Wolverine Origem, ( não leu ? Pare de ler agora e clique aqui. Depois você volta.). E como disse, não foi uma historia que eu acho que deveria ter sido escrita. Em Wolverine Origem 2, temos a continuação da história anterior, com Logan vivendo com os lobos. Em uma vivida homenagem à mini-serie do Frank Miller, Wolverine enfrenta um urso polar, mas não foi tão fácil como da primeira vez, e este não estava enlouquecido pelas flechas envenenadas, mas sim por ter sido cobaia em experimentos loucos.

Podem haver spoilers aqui, ok ? Se for ler, siga sabendo disso.

Levaram 10 anos para escrever esta continuação. Lançada em fevereiro de 2014, Origem II desvela mais um pouco do passado misterioso do Carcaju atarracado, enquanto que tenta manter um pouco da sua mística. Acrescenta alguns personagens novos, uma família de Creeds e uma revelação de que Nathaniel Essex já havia cruzado o caminho do Wolverine anos antes de encontrar os X-Men e antes de ser aquele “Colossus” roxo com um losango vermelho na testa.

Wolverine Origem 2A história é boa, com uma boa dose de drama. Repetindo mais uma vez a “criativa” a ideia de Logan tentar mais uma vez se unir a civilização, virar uma cobaia de laboratório, fugir com uma mulher que ele acaba se apaixonando e esta estar com outro. Acho que, ou a criatividade do mundo acabou, ou eu estou velho mesmo… rs… será que não tem nada diferente pra fazer com ele ? Sei que tudo acontece em ciclos, que a humanidade vive se repetindo, reciclando os próprios erros até aprender com eles, evoluir e superá-los. A natureza é assim. Mas, poxa… a gente já leu isso com o Logan umas… sei lá… X vezes. De qualquer forma, é bem melhor do que a edição original. 

Wolverine Origem 2Wolverine Origem 2 tem seus momentos. O começo é muito, muito legal. O encadernado da Editora Panini que eu li traz os números 1 a 5 de Wolverine Origins 2. O numero 1 inteiro é muito bom. Segue muito bem a selvageria… sequências lindas de imagens bem desenhadas. Aliás o Andy Kubert se supera nesta edição. Experiência vai se acumulando mesmo. Traço preciso, expressões perfeitas. Emocional, rítmico… uma dança rítmica… literalmente, Logan “Dança com Lobos” ( tu-rum-tisssss) . A arte faz valer grande parte do investimento nesta publicação.

Wolverine Origem 2Outra coisa bacana é a quantidade de referencias. Tem muitas. Tem coisas que são como uma recompensa para leitores antigos como eu, menos obvias, mas igualmente interessantes. E não acho que tem referencias demais, não. Eu adoro referencias, gosto de ficar com um clima de saudosismo e com aquele sentimento de “puxa vida, eu lembro disso !”. Se mantiver a atenção, verá vários sinais sobre Essex, sua equipe de Carrascos ( acho que ele sempre gostou deste nome ), duas cores, seu laboratório e sua frieza excepcional em nome da ciência. Eu gosto deste personagem, não posso negar. Já a menina, Clara, que aparece eu não sei de onde ela veio. Ela é uma de 3 irmãos Creed e você passa a historia toda achando que o irmão que fica o tempo todo atrapalhando a vida do Logan é o Victor, mas depois fica entendido que não é, já que ele aparece no final da HQ numa imagem sensacional ! Está vendo ? Como eu disse, a historia é boa, mas tem momentos ótimos. Pena que são apenas momentos. Eu particularmente prefiro quando a historia é ótima com momentos bons. Mas, bom… é o que temos. O que me lembra que Clara era o nome da namorada do Doc Browm em De Volta para o Futuro 3. Seria uma referência ? Se bem que BTTF3 se passa em 1885 e Origem 2 em 1907. 

Origin_II_3_Preview_2Eu acho que Wolverine Origem 2 é menos desnecessária que Wolverine Origem 1. Mas, se fosse pra escolher uma delas, acho que poderiam e deveriam ter lançado apenas a sequencia. O passado do Wolverine é interessante enquanto fragmentos. Lembro que na primeira série de HQ’s do Wolverine pela Abril, em formatinho ainda, haviam umas histórias dele no passado que eram ótimas. Que valiam a pena ler. Wolverine funciona muito bem em historias soltas, com começo, meio e fim, sem precisar ficar seguindo uma onda seriada. Ele é um lobo solitário, mesmo que não curta isso. Uma série “Um conto de Wolverine” seria algo perfeito para o personagem. Ao menos, no meu ponto de vista.

O roteiro é de Kieron Gillen ( que eu não conheço ) e acho que ele foi bem melhor do que o Jenkins. Ele tem um ritmo de escrita que parece conhecer melhor a historia do personagem. Ele deve ter acompanhado e lido bastante sobre o Logan pra entrar mais na psique dele. Acho que a formula batida que eu cito no começo deve ter sido encomenda de editor chefe, sabe ? Lance comercial. Mas ele tenta ( e por vezes, consegue ) ser criativo e fugir um pouco disso as vezes e imprimir seu estilo. Gosto das historias mais antigas, porque a liberdade artística era mais respeitada. Hoje, os caras recebem as formulas e embora possam personaliza-las, a raiz essencial da historia já está mais ou menos encomendada pela editora. A arte perde como um todo. E não se é possível saber, se fosse permitido ao artista ser ele mesmo, se o resultado seria diferente. Pode ser que sim, pode ser que não. Estamos vivendo momentos muito massificados. A individualização se torna rara a cada dia. Ser “você mesmo” parece cada vez mais “errado“. Ao menos é o que eu sinto. Até bem pouco tempo atrás as pessoas de diferentes pontos do mundo eram muito diferentes. Hoje em dia, com a globalização e a internet, estamos cada vez mais iguais e a percepção é a de que a diferenciação entre culturas irá cada vez mais se perder, tudo se misturar e em poucos anos, quem sabe uns 100 anos, sejamos todos apenas um só povo da Terra, sem fronteiras de língua e cultura. Pode parecer viagem, mas faça uma projeção do futuro baseando-se no passado ? Star Trek tinha razão… os estrangeiros devem ser os ETs e não os Europeus. E isso em pouco tempo.

Wolverine Origem 2Bom, já tomei demais o seu precioso tempo. Deixo a você esta reflexão acima. E adoraria se comentasse o que pensa sobre isso.

Recomendo bastante a leitura, principalmente aos fãs de Wolverine. É bem melhor do que a primeira ( aqui ) e pode ser lida tranquilamente sem precisar da predecessora. Os desenhos são um deleite. Repito.

Abraços do Quadrinheiro Véio.

Wolverine Origem 2

FACEBOOK

Wolverine – O Velho Logan

Eu simplesmente adoro estas edições de futuro alternativo, principalmente futuros apocalipticos em que os heróis perderam e o mundo virou um caos… hehehe… devo ter algum problema de caráter…rs…
Velho LoganEm Wolverine – O Velho Logan, temos isso. Mas isso em grande estilo e qualidade. Vou fazer um resuminho, me esforçando pra não liberar spoilers. Passaram-se 50 anos no universo Marvel após os vilões se organizarem e atacarem todos os heróis ao mesmo tempo e em massa, causando a morte da grande maioria esmagadora deles e os poucos que sobreviveram estão escondidos ou sendo mercenários. Pra ajudar, os líderes vilões dividiram os EUA em 4 reinos e é tudo um grande deserto, no mais belo estilo Mad Max. Tem um monte de dinossauros espalhados por aí, e filhos e netos de vilões e heróis espalhados, perdidos, sendo alguns mais vilões, outros mais heroicos. É muito interessante ver o que alguns vilões acabaram se tornando. E o que pra mim foi o mais importante: Coerência. O universo desta HQ é coerente. O Wolverine é coerente. Os vilões e o que aconteceu com eles é coerente. Gosto disso, acho que é uma forma de deixar a gente curioso e se sentir homenageado por não mudarem tudo o que vc passou uma vida lendo ( meu caso… principalmente pelo ódio que sinto de Novos 52 da DC ).
Velho LoganVocê sabe que é uma HQ muito bem feita, porque não consegue largar ela até acabar. E se emociona ao ler, fica instigado e ansioso. Tudo é revelado no tempo certo, os motivos do Logan não usar mais as garras e os motivos pra voltar a usar são autênticos. Ele é um herói na essência, mas parece que luta o tempo todo contra isso… é aquele lance de aceitação. E, poxa, desde que entrou pros X-Men láááá atrás, ele passa por este conflito interno. E podemos ver os conflitos dele, sentir dentro de nós.

Acho que é isso que deixa a gente mais identificado com algumas HQ´s: A habilidade do roteirista de te colocar dentro da HQ, sentir o que está lá como se fosse com você. Perceba que, pra mim, HQ tem que te fazer sentir, tem que fazer emocionar, vibrar, torcer muito. O Velho Logan faz você torcer por ele, sentir pena, ódio… não entender algumas ações dele até ele explicar e contar tudo que houve. E a batalha final ? Minha nossa… épica ! ÉPICA ! Não vou nem dizer com quem, mas digamos que seja linda a simetria. Eu diria que o título, O Velho Logan, seja mais do que um Logan velho, mas ter o bom e ‘velho’ Logan de volta.
O roteiro de Mark Millar é primoroso no sentido de condução da sua emoção e pensamentos. A gente fica se questionando, ficamos em diálogo interno o tempo todo, buscando entender e adivinhar o que vem em seguida. A cada destino de um herói que é revelado, a gente vibra. É uma delicia. E é ótimo ver que, mesmo raras, existem sagas e mini-series boas após os anos 90. Quem acompanha o blog sabe que eu tenho um certo problema com os anos 2000. Velho LoganOs desenhos de Steve McNiven constroem uma narrativa com quadros grandes, dando a dimensão do desastre o tempo todo. Os personagens envelhecidos, suas expressões, estão muito coerentes e bem feitos.
A riqueza de detalhes nos quadros nos localiza muito bem na história e complementa o diálogo. Segue abaixo algumas ilustrações da edição. Veja se estou exagerando. Ele tem um traço moderno, mas mesmo assim, pelo detalhamento e movimento, excelente !
Recomendo a leitura, leia mesmo. Permita-se. Emocione-se.
 
Abraços do Quadrinheiro Véio !
 
 
 
 
 
 
 
 
Velho Logan

 

 

Velho Logan

 

 

Velho Logan

 

 

 

 

Velho Logan